sábado, 21 de março de 2015

ratos brotando dos bueiros

O rato amarelo (Rattus dictator flavus), 
descoberto, é claro, por este Demônio Amarelo.


você sabe bem que eles são roedores,
e como também são infectos: ratos,
eles se escondem até que então saem,
ratos dos grandes, com muita energia
nervosa, cheios de peste nas presas,
furtivos não mais, animais coletivos,
mas sempre covardes de esgoto na
espessa violência de grupo: a sujeira
em suas línguas de ralo ergue os ratos
do escuro e velho buraco; não vivem
de resto ou rasteiro: reis na ratice,
nos golpes, ditam as regras de ratos
pra todo mundo que seja um bom rato
como eles - às vezes, num país inteiro,
às vezes depois de fugir, por uns bons
30 anos. quem não é rato, cuidado:
pois há ratos brotando dos bueiros.


15 de março de 2015

Um comentário:

Julia Bicalho Mendes disse...


"e chega talvez o dia em que, para desgraça e ensinamento dos homens, a peste acorda os ratos e os manda morrer numa cidade feliz." camus, a peste.

lembrei, assim.